Ibitinga é elogiada por desempenho no controle da dengue deste ano

O DRS (Departamento Regional de Saúde) elogiou o município de Ibitinga sobre o desempenho e resultados obtidos no controle de endemias e epidemias – em especial sobre a dengue.

De acordo com os números apresentados pela regional, Ibitinga teve apenas 172 casos confirmados da doença em um período em que várias cidades chegaram a decretar uma epidemia.

No comparativo mostrado pelo DRS, Itápolis registrou 1012 casos. Atrás estiveram as cidades de Borborema (601) e Nova Europa (555).

“A força tarefa foi geral para controlar a proliferação do Aedes aegypti, bem como a conscientização da população. Houve um esforço muito grande de diversos departamentos de saúde do SAMS e da Prefeitura para que os números da doença fossem baixos”, disse Queila Pavani, diretora do SAMS.

O destaque positivo para Ibitinga aconteceu em reunião regional da Sala de Situações de Arboviroses. Além da DRS III, estavam presentes representantes da Superintendência de Controle de Endemias (Sucen) e o Grupo de Vigilância Epidemiológica da região XII.

Estratégias

O ‘Mutirão da Limpeza’, feito nos primeiros meses do ano, foi uma das chaves para o controle da dengue. Antes de qualquer registro da doença, a Prefeitura efetuou a limpeza de todos os bairros do município, removendo entulhos e materiais inservíveis.

“Com isso, muitos locais que poderiam virar criadouros do mosquito e outras pragas foram eliminados das ruas, dos terrenos e das casas dos moradores. Foi um trabalho de saúde pública completo como forma de prevenção”, relatou Luis Antonio Guedes, atual secretário de serviços públicos da Prefeitura.

O município também uniu forças para manter a limpeza da cidade e, junto ao SAMS, reforçou o trabalho dos agentes de endemias.

“A gente passou casa por casa, imóvel por imóvel, durante todos esse meses. Levamos panfletos, falamos no rádio, nas redes sociais e verificamos quintais, terrenos baldios e os interiores das casas”, destacou Marcio Magliochi, chefe do departamento de vigilância epidemiológica de Ibitinga.

Junto ao SAAE e à Secretaria de Serviços públicos, a Prefeitura manteve a limpeza de bueiros e bocas de lobo, bem como a roçagem e a limpeza de praças, escolas, canteiros e outros logradouros públicos.

Nas unidades de saúde as enfermeiras e os agentes comunitários reforçaram a conscientização por meio de panfletos e palestras. A Secretaria de Educação fez o mesmo nas escolas e a Secretaria de Comunicação produziu programas de rádio, notícias e outros materiais publicitários via redes sociais para impulsionar a informação.

 

Fonte: Prefeitura de Ibitinga